Pular para o conteúdo principal

Massificação e cristianismo

Com a tecnologia ganhamos formas de comunicação que antes eram inimagináveis. Lembro que na década de 80 minha mãe aderiu a um plano de expansão da Telesp para uma linha telefônica parcelada em anos. Se alguém me dissesse que teríamos telefones nas cinturas e bolsas eu nunca acreditaria. Para qualquer informação temos disponível a internet, com seu guru, o Google, que nos traz em instantes respostas "fast-food" a nossas dúvidas; sem esforço, sem exercitar os neurônios.

O ganho em comunicação facilitou outro fenômeno: a massificação. A mídia aponta a moda, o comportamento, o que aceitaremos como normal na sociedade, qual o próximo presente de nossos filhos, nossos próximos governantes. Como a igreja é formada de homens, logo a massificação foi adotada como forma de "salvar a muitos". Hoje existem métodos infalíveis para ganhar almas, onde apostilas, carnês, encontros, shows e etc., colocam o Espírito Santo como expectador, mas convencem a muitos que ser cristão está na moda. O efeito colateral é sentido quando os ditos cristãos expõem a fé publicamente com atitudes reprováveis até mesmos para os que não conhecem a Deus.

A evangelização massificada que mostra como é prazeroso ser "crente", que Deus está agora a "nosso serviço" para nos abençoar, não irá trazer ninguém a Cristo. O máximo será um templo cheio de pessoas prostradas aos prazeres do mundo, tentando usar Deus para sua satisfação pessoal. Seguir Jesus nunca deixará de ser a morte do homem para o pecado e o ego; morte de cruz, e a sua completa rendição à Deus.

"Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me. Porque qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, mas, qualquer que perder a sua vida por amor de mim e do evangelho, esse a salvará."

Comentários

As mais lidas dos últimos 30 dias

MARCA DE AMOR

Eu saí da reunião mais cedo. Estava previsto até o meio-dia e ainda eram onze horas. Beleza, eu tinha uma hora para flautear. Sai no estacionamento de terra. Que porra esse pessoal não asfalta essa merda? Vai sujar meus sapatos. Antes de chegar ao carro percebi o flanelinha se aproximando para pedir dinheiro. Parar no barro e ainda pagar para estacionar.
-    E aí, patrão? - disse o flanelinha com um sorriso no rosto.

Não respondi. Entrei no carro e bati a porta. Ele se aproximou e deu umas batidinhas no vidro ao meu lado. Liguei a ignição, abri o vidro e olhei para ele. Tudo que eu queria era ir embora e garantir que na próxima vez que parasse meu carro ali ele não seria riscado. Sem desembolsar nada, lógico.
-    Tem um trocado aí, patrão? - pediu ele.
-    Para que trocado? - perguntei esperando a resposta padrão: para o almoço.
-    Pra pinga - respondeu ele.

Fiquei olhando a cara do sujeito por alguns segundos antes de ser capaz de dizer alguma coisa. “Taí algo que não se ouve …

Amigos

Há alguns anos ouvi uma mensagem que eu poderia resumir como: a Igreja já está cheia de irmãos, o que ela precisa é estar cheia de amigos. Por mais estranho que pareça, essa mensagem era dedicada a um grupo cristão que se reunia nas casas e tinha como orgulho a união alcançada por meio de uma prática cristã simples, que não se importava com ritos e sim com pessoas. Não sei quantos naquele dia foram alcançados pela mensagem. Talvez a maioria nutrisse uma certeza interior que aquilo já estava resolvido no meio do grupo, tão unido.

A amizade pode nascer de várias formas. Quando criança, brincamos com nossos vizinhos e fazemos amigos facilmente. Alguns desses entram conosco na adolescência, mais tarde, interesses em comum nos levam a estabelecer novas amizades. É comum na juventude acreditarmos que os amigos irão nos acompanhar por toda a vida (bom que algumas vezes é verdade!). Há as amizades que iniciam na escola, no trabalho e, também, dentro de um contexto religioso. É natural que al…

Igreja, o corpo de Cristo

O CORPO DE CRISTO A estrutura das igrejas locais relatadas no Novo Testamento se assemelha muito mais a uma família do que uma organização religiosa. As reuniões eram mais voltadas a uma vida em comum do que cumprir metas, mesmo se pensarmos em metas “espirituais” como evangelismo, libertação e crescimento cristão. Os irmãos normalmente faziam parte de um lar específico e ali compartilhavam suas vidas e buscavam ao Pai como um corpo.

“Saudai a Priscila e a Áqüila, [...]. Saudai também a igreja que está em sua casa.” Rm.16:3;5

“E à nossa amada Afia, e a Arquipo, nosso camarada, e à igreja que está em tua casa” Fp.1:2

“Saúda-vos Gaio, meu hospedeiro, e de toda a igreja.” Rm.16:23

“As igrejas da Ásia vos saúdam. Saúdam-vos afetuosamente no Senhor Áqüila e Priscila, com a igreja que está em sua casa” ICo.16:19

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,” At. 2:46

“E era um o coração e a alma da multidão dos q…