Pular para o conteúdo principal

Dízimo na nova aliança


Nessa semana surgiu esse assunto em dois fóruns. Vou colar o que escrevi em ambos:

Creio no seguinte: no AT Deus constituiu seu povo. Ajuntou-os durante a história tendo picos de intimidade e afastamento com ele. No NT Deus ajunta seus filhos utilizando-se de si mesmo em Cristo e pelo Espírito para nos transformar em pessoas compatíveis com Ele. Isso tudo porque Ele quer dar uma noiva a Jesus e só se casam seres da mesma espécie. E no futuro, aliás, na eternidade, desfrutaremos de algo maior do que a filiação que é o casamento, ser UM com Ele, semelhante ao marido e esposa, que são uma só carne.

Então, creio que no relacionamento de povo de Deus existiam algumas obrigações do povo para com o seu Rei e com os integrantes do mesmo povo, bem como hoje, como filhos temos responsabilidades com o Pai e com os irmãos e no futuro como esposa seremos um e ai nem sei como será. Como povo, Deus, o Rei, instituiu leis e tributos e o dízimo é um tributo ao Rei dos Reis e tinha uma utilidade. Como filhos, não pagamos tributos ao Pai, mas participamos com a vida, com tudo que temos para o Pai e para o convívio familiar com os irmãos.

Então não creio que como filho devo pagar tributo ao Rei, mas sim ter convicção e agir sabendo que tudo que eu tenho é do Pai e dos irmãos. Na nova aliança todas as coisa da antiga não passaram, mas foram aperfeiçoadas, pois a nova aliança nos muda por dentro, enquanto a velha mudava somente os hábitos. Por isso Jesus diz que se a nossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus não entraríamos no Reino.

Escrevi em outro tópico sobre vinho e odre, se puder depois leia lá. Isso que disse creio que é um vinho que só pode ser guardado no odre apropriado. Muitas estruturas religiosas acabariam ao falar sobre esse assunto desse jeito. Ao deixar de usar a cobiça, a culpa e o medo para motivar os irmãos a dar dinheiro a arrecadação cai drasticamente. Quando nós começamos a viver igreja no lar em 98, o Iran, nosso pastor na época (hoje falecido) falou sobre isso aos irmãos, e não fazia apelos emocionados para doações. Os irmãos simplesmente pararam de participar com dinheiro. Como não tínhamos contas, estrutura, rádio, TV, etc... isso não era um grande problema, mas a tristeza foi constatar que ninguém queria abençoar e participar da vida dos outros financeiramente. Mas, milagrosamente, ao aumentar a intimidade, a comunhão, todos começaram a ofertar, sem pregação, sem incitarmos cobiça ou culpa, mas simplesmente pelo prazer de fazer parte da família de Deus e com a quantia que tinha no coração (alguns até mais do que 10%). Mas com certeza o montante arrecadado não era o que conseguiríamos com os apelos, mas era suficiente para suprir todas as necessidades da igreja (pessoas).

Uma denominação não sobrevive a isso, pois normalmente a sua estrutura não comporta baixas na arrecadação e os sonhos dos que as lideram é estender replicar a mesma estrutura e isso custa dinheiro, muito dinheiro. Por isso creio que não tem como viver assim indiscriminadamente, seria colocar vinho novo em odre velho e a denominação racharia, perderia o odre, o vinho e pior, pessoas.

Comentários

  1. Ola Marcos!


    Queria convidar você para conhecer o meu blog, o Genizah que horas é pirado e engraçado, horas é exaltado e sério, mas é super do bem e tem como regra levar o Evangelho da Liberdade Verdadeira e a Santa Subversão de Jesus ao mundo egocêntrico e perdido nos seus valores! E, ainda dando tempo, aproveito para tirar uma onda com este pessoal que anda explorando a fé das pessoas e ainda dizendo que são cristãos... Ops!

    Por minha vez, já me tornei seu seguidor.

    Abraços em Cristo e Paz!

    Danilo

    http://www.genizahvirtual.com/

    ResponderExcluir
  2. legal, eu tenho um topico de março no cmfreak relacionado a isso. www.cmfreak.net/forum/index.php?showtopic=17989 depois dá uma olhada lá. abração.

    ResponderExcluir
  3. parabéns pelo blog,grato pela visita,qua o Senhor te abençoe dia a dia neste 2010!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou? Comente!
Não gostou? Comente também!

As mais lidas dos últimos 30 dias

Competição "santa"

O tempo passa rápido! Estou perto dos 40 anos e lembro-me como se fosse ontem quando tinha 20. Com anos passados é normal acumularmos algumas bagagens: conhecimento, experiências, manias, coisa boas e ruins. Na virada deste ano, 2009 para 2010 completarei a "maioridade cristã". Estarei comemorando 18 anos de adoção, 18 anos que o Pai lá do céu me adotou em Cristo. O tempo decorrido não quer dizer muita coisa, afinal crescer no conhecimento de Deus não é natural, demanda relacionamento, renúncia, crucificação do ego e seus desejos. Muitos passam anos no cristianismo, mas continuam sendo governados pelo seu ego e suas vontades, como um bebê, que pensa que o mundo gira em torno de suas necessidades.

Nesses 18 anos de adoção muita coisa em minha vida mudou, principalmente a forma como enxergo o próximo, seja ele da mesma família celestial ou não. Já estive em uma congregação no início de seus trabalhos e a vi crescer assustadoramente, já estive também em grandes congregações em p…

Jesus na célula

Foi um encontro inusitado. Jesus estava passeando pelas ruas de Brasília, passou pela rodoviária do Plano, aquela multidão, ninguém o reconheceu. Viu um jovem a passos largos, bíblia embaixo do braço, se aproximou: - Olá rapaz! Jesus aborda o jovem que apressa ainda mais o passo.
- Olá moço. Desculpe, estou com pressa. O jovem demonstrou desgosto pela interrupção do estranho.
- Tudo bem, eu que me desculpo pela interrupção. Jesus conhecia os seus pensamentos. Você está indo a algum lugar especial?
- Estou indo para a igreja!
- Indo à igreja?
- É! Frequento a Igreja Pentecostal dos Milagres de Jesus... Pô, eu estou com pressa, o culto já começou, dá para dar licença. O jovem quase começa a correr, tentando se esquivar daquela situação desagradável com o estranho. Alguém que aborda o outro na rua, não deve ter boas intenções.
- Igreja Pente... (imagine a cara de Jesus nesse momento). Posso ir com você?
- Ãããã... Vamos, não tem problema. Mas ai se alguém perguntar você fala que frequent…

Inferno, bah!

Nunca tive medo do inferno. Posso agradecer ao Vandilson que me apresentou Jesus como o único caminho a Deus Pai e não único caminho ao céu. O inferno para mim é tão irrelevante que se não existir não me faz a mínima diferença. Todo meu esforço não é para andar por ruas de ouro e pedras preciosas, mas sim pela vida eterna. Quero viver na presença de Deus, meu Pai e Jesus, meu Senhor, irmão e amigo.

“E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” Jo.17:3

“Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.” ICo.13:12 <-- Quero vê-lo face a face.