Pular para o conteúdo principal

Tudo quanto pedir Deus fará?


sobre-os-pes-de-meu-pai

Não é raro termos dúvidas acerca de orações não respondidas pelo nosso Pai Celestial. Principalmente quando nos deparamos com situações quejulgamos incompatíveis com nossa posição como filhos de Deus. Uma doença que alcança um ente querido, uma catástrofe que assola o que construímos com afinco, lutas inexplicáveis que nos colocam em situações de fragilidade e medo.
Ao buscarmos nosso Pai nessas ocasiões gostaríamos de ter certeza de que Ele está nos ouvindo e nos irá atender. Procuramos, então, refúgio em promessas que encontramos na Bíblia, na certeza de que, com elas, teremos vitórias. Um dos ensinos de Jesus comumente utilizados é aquele, em que Ele ensina os apóstolos, durante sua última ceia, dizendo:
“E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.” Jo. 14:13
De posse dessa declaração, do próprio Cristo, podemos nos sentir tristes e confusos quando insistimos em oração, dizendo claramente que oramos em nome de Jesus, e não somos atendidos. Afinal, o que Jesus falou é claro: tudo quando pedir em meu nome eu o farei!
O que precisamos meditar é sobre nosso papel quando estamos pedindo algo em nome dele, de nosso Senhor e mestre. Ao pedirmos algo em nome de outrem estamos representando aquela pessoa, ou seja, pedindo exatamente aquilo que aquela pessoa pediria. Não adianta apenas inserirmos ao final de um pedido “em nome de fulano”, que automaticamente aquele pedido está de acordo com a vontade de fulano.
Portanto, pedir em nome de Jesus é representar a Jesus em um pedido, tendo a plena convicção de que aquela é a vontade dele. Se estivermos totalmente alinhados com Jesus, nosso pedido encontrará eco no coração dele, e o Pai nos atenderá de pronto. Caso contrário, nosso pedido não será em nome dele, mesmo inserindo seu nome na petição.
Mas, e quando não soubermos a vontade dele? Não podemos orar? Certamente que podemos! Podemos e devemos, mas será uma oração de suplica, que certamente será ouvida, mas nem sempre atendida. Lembram-se da insistente petição de Jesus ao Pai?
“E [Jesus] disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres.” Mc 14:36
Jesus sabia que todas as coisas eram possíveis ao Pai. Até mesmo livrá-lo do momento que se aproximava: sua morte na cruz. E clamou... clamou por 3 vezes. Ao final, não tendo sua súplica atendida, corajosamente cumpriu a vontade de Deus.
Que possamos representar Jesus ao pedirmos em seu nome e sermos corajosos para atender diligentemente a vontade do Pai, mesmo que não seja a nossa.


Comentários

As mais lidas dos últimos 30 dias

Competição "santa"

O tempo passa rápido! Estou perto dos 40 anos e lembro-me como se fosse ontem quando tinha 20. Com anos passados é normal acumularmos algumas bagagens: conhecimento, experiências, manias, coisa boas e ruins. Na virada deste ano, 2009 para 2010 completarei a "maioridade cristã". Estarei comemorando 18 anos de adoção, 18 anos que o Pai lá do céu me adotou em Cristo. O tempo decorrido não quer dizer muita coisa, afinal crescer no conhecimento de Deus não é natural, demanda relacionamento, renúncia, crucificação do ego e seus desejos. Muitos passam anos no cristianismo, mas continuam sendo governados pelo seu ego e suas vontades, como um bebê, que pensa que o mundo gira em torno de suas necessidades.

Nesses 18 anos de adoção muita coisa em minha vida mudou, principalmente a forma como enxergo o próximo, seja ele da mesma família celestial ou não. Já estive em uma congregação no início de seus trabalhos e a vi crescer assustadoramente, já estive também em grandes congregações em p…

Igreja, o corpo de Cristo

O CORPO DE CRISTO A estrutura das igrejas locais relatadas no Novo Testamento se assemelha muito mais a uma família do que uma organização religiosa. As reuniões eram mais voltadas a uma vida em comum do que cumprir metas, mesmo se pensarmos em metas “espirituais” como evangelismo, libertação e crescimento cristão. Os irmãos normalmente faziam parte de um lar específico e ali compartilhavam suas vidas e buscavam ao Pai como um corpo.

“Saudai a Priscila e a Áqüila, [...]. Saudai também a igreja que está em sua casa.” Rm.16:3;5

“E à nossa amada Afia, e a Arquipo, nosso camarada, e à igreja que está em tua casa” Fp.1:2

“Saúda-vos Gaio, meu hospedeiro, e de toda a igreja.” Rm.16:23

“As igrejas da Ásia vos saúdam. Saúdam-vos afetuosamente no Senhor Áqüila e Priscila, com a igreja que está em sua casa” ICo.16:19

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,” At. 2:46

“E era um o coração e a alma da multidão dos q…

Deus existe? Então prove!

Já participei de uma comunidade ateísta no Orkut. Mesmo sendo cristão convicto ganhei o status de moderador após participar de uma pequena competição de conhecimento científico e teológico. Quando participava ativamente a frase que mais ouvia dos meus amigos ateísta era: “Deus existe? Então prove! O ônus da prova é incumbido àquele que afirma.” Minha resposta não poderia ser outra: “Aqueles que afirmam que Deus não existe podem provar? Afinal, quando se afirma deve-se apresentar a prova da afirmação.” Ninguém nunca provou nada, mas nos divertimos um bocado.

Fato é que Deus não quer provar a sua existência. Se Ele assim desejasse iria aparecer ao mesmo tempo a todos no planeta e dizer com voz de trovão:“Eu sou Deus, eu enviei Jesus e agora todos devem se prostrar diante dele, reconhecendo-o como Rei dos reis.” Aqueles que não se ajoelhassem seriam obrigados por Deus e voilà, estaria provado e comprovado sem sombra de dúvidas. De quebra todos estariam “convertidos” ou, no mínimo, coagido…