segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Tudo quanto pedir Deus fará?



Não é raro termos dúvidas acerca de orações não respondidas pelo nosso Pai Celestial. Principalmente quando nos deparamos com situações quejulgamos incompatíveis com nossa posição como filhos de Deus. Uma doença que alcança um ente querido, uma catástrofe que assola o que construímos com afinco, lutas inexplicáveis que nos colocam em situações de fragilidade e medo.
Ao buscarmos nosso Pai nessas ocasiões gostaríamos de ter certeza de que Ele está nos ouvindo e nos irá atender. Procuramos, então, refúgio em promessas que encontramos na Bíblia, na certeza de que, com elas, teremos vitórias. Um dos ensinos de Jesus comumente utilizados é aquele, em que Ele ensina os apóstolos, durante sua última ceia, dizendo:
“E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.” Jo. 14:13
De posse dessa declaração, do próprio Cristo, podemos nos sentir tristes e confusos quando insistimos em oração, dizendo claramente que oramos em nome de Jesus, e não somos atendidos. Afinal, o que Jesus falou é claro: tudo quando pedir em meu nome eu o farei!
O que precisamos meditar é sobre nosso papel quando estamos pedindo algo em nome dele, de nosso Senhor e mestre. Ao pedirmos algo em nome de outrem estamos representando aquela pessoa, ou seja, pedindo exatamente aquilo que aquela pessoa pediria. Não adianta apenas inserirmos ao final de um pedido “em nome de fulano”, que automaticamente aquele pedido está de acordo com a vontade de fulano.
Portanto, pedir em nome de Jesus é representar a Jesus em um pedido, tendo a plena convicção de que aquela é a vontade dele. Se estivermos totalmente alinhados com Jesus, nosso pedido encontrará eco no coração dele, e o Pai nos atenderá de pronto. Caso contrário, nosso pedido não será em nome dele, mesmo inserindo seu nome na petição.
Mas, e quando não soubermos a vontade dele? Não podemos orar? Certamente que podemos! Podemos e devemos, mas será uma oração de suplica, que certamente será ouvida, mas nem sempre atendida. Lembram-se da insistente petição de Jesus ao Pai?
“E [Jesus] disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis; afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero, mas o que tu queres.” Mc 14:36
Jesus sabia que todas as coisas eram possíveis ao Pai. Até mesmo livrá-lo do momento que se aproximava: sua morte na cruz. E clamou... clamou por 3 vezes. Ao final, não tendo sua súplica atendida, corajosamente cumpriu a vontade de Deus.
Que possamos representar Jesus ao pedirmos em seu nome e sermos corajosos para atender diligentemente a vontade do Pai, mesmo que não seja a nossa.

terça-feira, 14 de julho de 2015

Vocacionados ao amor


A vocação da Igreja é o amor que se traduz em serviço ao próximo. O amor em Deus é um movimento que restaura e toca em vidas!

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Em defesa de Jesus


Após a passeata LGBT apareceram muitos defensores de Jesus, o que inclusive popularizou o termo cristofobia.

Essa necessidade de defender Jesus não é nova. Quando ele ainda vivia houve uma situação extrema, onde um de seus mais fiéis seguidores o defendeu com fervor. Vocês lembram?

Foi assim: Jesus foi traído pelo seu amigo Judas, que entregou seu paradeiro em troca de algumas moedas de prata. O sumo sacerdote, alguns de seus servos e uma multidão, todos religiosos, porém verdadeiros cristofóbicos, foram atrás de Jesus. Quando chegaram Pedro não teve dúvidas, partiu em defesa de Jesus e cortou a orelha do servo do sumo sacerdote! Um exemplo de homem que defendeu a Jesus em detrimento de sua própria segurança!

Jesus, em resposta a essa atitude tão nobre de Pedro, o repreendeu, mandando-o guardar a espada. Como se ainda não bastasse ele curou a orelha ferida do cristofóbico dizendo:

Embainha a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão. Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos? Mateus 26:52,53

Que lição podemos tirar disso? Simples, JESUS NÃO PRECISA DE DEFENSORES. Ele não é um homem indefeso, acho que doze legiões de anjos poderiam fazer um belo estrago! Ele é um homem que, podendo quebrar a banca, decidiu não fazê-lo. Caso ele desejasse acabaria com esse mundo de uma vez, ou mesmo com todos os Cristofóbicos, pecadores, LGBTs, adúlteros, corruptos, ladrões (será que sobraria alguém vivo?), políti%$%,ops...

É claro que ele NÃO QUER ACABAR COM OS CRISTOFÓBICOS, assim com é claro que ele QUER CURAR AS FERIDAS, inclusive as geradas no embate com seus defensores.

Então, se você é um defensor de Jesus, saiba que Ele não precisa de defensores. Agora, curadores de feridas, isso sim, ele disse que necessitaria... pessoas como ele, que entendem que o maior é aquele que serve. Inclusive, depois dessa gafe de Pedro, Jesus o chamou para cuidar das suas ovelhas... deixar de lado o ódio aos cristofóbicos e servir.

Você ama a Jesus? Não o defenda, tenha o mesmo sentimento que ele, sirva!

“Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.” Filipenses 2:5-7

Tudo quanto pedir Deus fará?

Não é raro termos dúvidas acerca de orações não respondidas pelo nosso Pai Celestial. Principalmente quando nos deparamos com situaçõ...

As mais lidas dos últimos 30 dias