Pular para o conteúdo principal

Não julgueis!

“Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.” Mateus 7:1-2

Não é incomum recebermos esse texto como resposta a alguma crítica que fazemos com respeito ao meio evangélico e, principalmente, aos seus líderes. Bom, já vou começar chutando o pau da barraca: se foi necessário citar esse texto como defesa a alguma coisa dita, ou feita por alguém, é porque o que foi dito ou feito foi uma bobagem sem tamanho! Ninguém reclama quando se “julga” alguma coisa positivamente. Dizer: “Nossa, que palavra abençoada do pastor super ungido” nunca é rebatida com o não julgueis. Entretanto, dizer: “Caracas, quanta bobagem o pastor falou hoje hein?” já é rebatido com Matheus 7 ou pior, 1 Samuel 24:6, para não tocar no ungido do Senhor. Sobre esse último, que é um absurdo, falarei em uma outra postagem.

Então, se foi necessário citar Matheus 7 para cessar o “julgamento”, já é um bom sinal que se fez m...!

Entretanto, vamos entender melhor o que Jesus quer dizer em Matheus 7. Vejamos um exemplo: um sujeito pega, sem autorização, o CD Player de um carro. Eu, como cidadão comum, comparo essa ação com a lei e digo que ele furtou. Então vou e o denuncio. Ele será levado a julgamento e mediante apresentação de provas, com direito à defesa, será condenado ou absolvido por um juiz. Eu o julguei? Não, quem o julgou foi o juiz, pessoa qualificada para tal ação, após ouvir os fatos e considerar a acusação e a defesa. Eu simplesmente denunciei sua obra má, evidenciada por um padrão. Inclusive o juiz poderia absolvê-lo, caso encontrasse razão para tal.

Como pessoas responsáveis, podemos, aliás, devemos, denunciar más ações. Quando falamos com respeito ao Reino de Deus essa responsabilidade é ainda maior. Temos a obrigação de comparar toda palavra e obra com o modelo de vida, que é Jesus. Caso entendamos que não é coerente, temos a obrigação de colocar essa incoerência à luz, para que outros possam vê-la.

Contudo, essa responsabilidade não me dá direito de julgar ou emitir qualquer condenação, afinal, só existe um justo Juiz. Emitir juízo é, por exemplo: fulano certamente vai queimar no fogo inferno, beltrano não é crente, ciclano não é discípulo de Jesus, etc. Não posso julgá-lo e devo lembrar que fulano e beltrano tem um advogado de defesa, Jesus, que costuma ir até últimas instâncias na defesa de seus clientes (morrer por eles, por exemplo). Então, quando eu julgo e condeno, ignoro a graça restauradora, que passa também a não me alcançar (recebo a mesma medida de juízo que emiti). Afinal, posso não ter feito o que fulano e beltrano fez, mas certamente fiz algo parecido, maior ou menor.

Se assim não fosse não poderíamos falar nada sobre a picaretagem de alguns líderes, enganando ovelhas para enriquecer, ou mostrar a incoerência da venda de bênçãos, aliás, os reformadores, que colocaram à luz a insensatez da venda de indulgências e outras barbaridades feitas pela Igreja católica estariam lascados. Para não falar de Jesus, que chamou os fariseus de raça de víboras e sepulcros caiados...

Concluindo, não tenham medo de medir o que pessoas falam ou fazem utilizando como parâmetro as palavras de Jesus e dos apóstolos. Não caia em artimanhas para gerar culpa ou calar a boca, no intuito de preservar a imagem de alguém querido. Isso não é amor, nem cuidado. Contudo, deixe o juízo para o Juiz (Ele saberá o que fazer e ouvirá o advogado de defesa). Lembre-se, você também tem o rabo preso e, no futuro, pode estar falando ou fazendo alguma bobagem também! Precisará da graça restauradora, tanto quanto o irmão do cisco.

Sugiro inclusive que você desenvolva esses hábitos como obrigação, caso tenha abraçado a fé. Jesus fez assim, você também deve fazer.

Comentários

As mais lidas dos últimos 30 dias

MARCA DE AMOR

Eu saí da reunião mais cedo. Estava previsto até o meio-dia e ainda eram onze horas. Beleza, eu tinha uma hora para flautear. Sai no estacionamento de terra. Que porra esse pessoal não asfalta essa merda? Vai sujar meus sapatos. Antes de chegar ao carro percebi o flanelinha se aproximando para pedir dinheiro. Parar no barro e ainda pagar para estacionar.
-    E aí, patrão? - disse o flanelinha com um sorriso no rosto.

Não respondi. Entrei no carro e bati a porta. Ele se aproximou e deu umas batidinhas no vidro ao meu lado. Liguei a ignição, abri o vidro e olhei para ele. Tudo que eu queria era ir embora e garantir que na próxima vez que parasse meu carro ali ele não seria riscado. Sem desembolsar nada, lógico.
-    Tem um trocado aí, patrão? - pediu ele.
-    Para que trocado? - perguntei esperando a resposta padrão: para o almoço.
-    Pra pinga - respondeu ele.

Fiquei olhando a cara do sujeito por alguns segundos antes de ser capaz de dizer alguma coisa. “Taí algo que não se ouve …

Amigos

Há alguns anos ouvi uma mensagem que eu poderia resumir como: a Igreja já está cheia de irmãos, o que ela precisa é estar cheia de amigos. Por mais estranho que pareça, essa mensagem era dedicada a um grupo cristão que se reunia nas casas e tinha como orgulho a união alcançada por meio de uma prática cristã simples, que não se importava com ritos e sim com pessoas. Não sei quantos naquele dia foram alcançados pela mensagem. Talvez a maioria nutrisse uma certeza interior que aquilo já estava resolvido no meio do grupo, tão unido.

A amizade pode nascer de várias formas. Quando criança, brincamos com nossos vizinhos e fazemos amigos facilmente. Alguns desses entram conosco na adolescência, mais tarde, interesses em comum nos levam a estabelecer novas amizades. É comum na juventude acreditarmos que os amigos irão nos acompanhar por toda a vida (bom que algumas vezes é verdade!). Há as amizades que iniciam na escola, no trabalho e, também, dentro de um contexto religioso. É natural que al…

Igreja, o corpo de Cristo

O CORPO DE CRISTO A estrutura das igrejas locais relatadas no Novo Testamento se assemelha muito mais a uma família do que uma organização religiosa. As reuniões eram mais voltadas a uma vida em comum do que cumprir metas, mesmo se pensarmos em metas “espirituais” como evangelismo, libertação e crescimento cristão. Os irmãos normalmente faziam parte de um lar específico e ali compartilhavam suas vidas e buscavam ao Pai como um corpo.

“Saudai a Priscila e a Áqüila, [...]. Saudai também a igreja que está em sua casa.” Rm.16:3;5

“E à nossa amada Afia, e a Arquipo, nosso camarada, e à igreja que está em tua casa” Fp.1:2

“Saúda-vos Gaio, meu hospedeiro, e de toda a igreja.” Rm.16:23

“As igrejas da Ásia vos saúdam. Saúdam-vos afetuosamente no Senhor Áqüila e Priscila, com a igreja que está em sua casa” ICo.16:19

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,” At. 2:46

“E era um o coração e a alma da multidão dos q…