Pular para o conteúdo principal

Um patamar mais elevado


O que é estar em um patamar mais elevado? Existem muitas formas de se exteriorizar um patamar acima. Algumas são amplamente utilizadas, como palcos e palanques. Quem está em um deles sente-se importante, em evidência e algumas vezes solitário e inseguro. Nas monarquias os tronos são sempre mais elevados, mostrando a superioridade do monarca e a posição de submissão dos súditos. Muitos palestrantes descem do palanque para ganhar a empatia do público, que vendo-o "no mesmo nível" tem um sentimento de proximidade. Alguns governantes também andam no meio do povo, causando estranheza. O pensamento geral é: "como pode ele (pessoa famosa ou poderosa) pode andar assim, em nosso meio? Puxa, como ele é simpático!" Tirando o perigo de um atentado o que o faz diferente ao ponto de estranharmos a proximidade? Não será o patamar onde os enxergamos?

No Reino de Deus existem patamares diferenciados? Se olhando ao redor você encontra irmãos que parecem menores ou maiores aos seus olhos, não estariam em outro patamar? Talvez por experiências vividas, pela graça recebida, por um chamado, dom ou revelação podemos nos sentir em um patamar acima daqueles que não tiveram nossas experiências. Não é raro alguns serem vistos como uma pessoa mais espiritual, mais madura e as vezes infalível! Grupos também demonstram esse comportamento. Recentemente ouvi esta frase: "Vocês não conhecem a igreja fulano de tal? A melhor igreja do Rio de Janeiro". Foi uma piada, entretanto quantos não tem esse entendimento e usam muitas justificativas para defendê-lo? Existem grupos que chegam ao extremo de se acharem os únicos escolhidos!

Estar em um patamar acima pode trazer conseqüências ruins, cito duas principais que são o orgulho e a solidão. Orgulho, pois se estamos acima podemos nos julgar melhores e não servos. Acabamos desejando que os outros nos sirvam e esquecemos de Jesus em Matheus 20:26 dizendo: "entre vocês o maior será aquele que serve". Solidão pois quem está em um patamar acima tem problemas ao relacionar com outros, pois assume uma posição de quem tem muito a ensinar e pouco a aprender. Todo o relacionamento seja individual (entre irmãos), ou coletivo (entre congregações), é via de mão dupla.

Jesus falou muito sobre humildade; não vou citar suas palavras, mas a sua pessoa nas palavras de Paulo: "Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até a morte e morte de cruz." Fp.2:5-8.

De fato Jesus estava em patamares muito superiores ao nosso, e ainda está; Ele É Deus! Se você está degraus acima lembre-se da exortação de Paulo e tenha o mesmo sentimento que houve em Jesus: desça e sirva.

Comentários

As mais lidas dos últimos 30 dias

Competição "santa"

O tempo passa rápido! Estou perto dos 40 anos e lembro-me como se fosse ontem quando tinha 20. Com anos passados é normal acumularmos algumas bagagens: conhecimento, experiências, manias, coisa boas e ruins. Na virada deste ano, 2009 para 2010 completarei a "maioridade cristã". Estarei comemorando 18 anos de adoção, 18 anos que o Pai lá do céu me adotou em Cristo. O tempo decorrido não quer dizer muita coisa, afinal crescer no conhecimento de Deus não é natural, demanda relacionamento, renúncia, crucificação do ego e seus desejos. Muitos passam anos no cristianismo, mas continuam sendo governados pelo seu ego e suas vontades, como um bebê, que pensa que o mundo gira em torno de suas necessidades.

Nesses 18 anos de adoção muita coisa em minha vida mudou, principalmente a forma como enxergo o próximo, seja ele da mesma família celestial ou não. Já estive em uma congregação no início de seus trabalhos e a vi crescer assustadoramente, já estive também em grandes congregações em p…

Igreja, o corpo de Cristo

O CORPO DE CRISTO A estrutura das igrejas locais relatadas no Novo Testamento se assemelha muito mais a uma família do que uma organização religiosa. As reuniões eram mais voltadas a uma vida em comum do que cumprir metas, mesmo se pensarmos em metas “espirituais” como evangelismo, libertação e crescimento cristão. Os irmãos normalmente faziam parte de um lar específico e ali compartilhavam suas vidas e buscavam ao Pai como um corpo.

“Saudai a Priscila e a Áqüila, [...]. Saudai também a igreja que está em sua casa.” Rm.16:3;5

“E à nossa amada Afia, e a Arquipo, nosso camarada, e à igreja que está em tua casa” Fp.1:2

“Saúda-vos Gaio, meu hospedeiro, e de toda a igreja.” Rm.16:23

“As igrejas da Ásia vos saúdam. Saúdam-vos afetuosamente no Senhor Áqüila e Priscila, com a igreja que está em sua casa” ICo.16:19

“E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,” At. 2:46

“E era um o coração e a alma da multidão dos q…

Deus existe? Então prove!

Já participei de uma comunidade ateísta no Orkut. Mesmo sendo cristão convicto ganhei o status de moderador após participar de uma pequena competição de conhecimento científico e teológico. Quando participava ativamente a frase que mais ouvia dos meus amigos ateísta era: “Deus existe? Então prove! O ônus da prova é incumbido àquele que afirma.” Minha resposta não poderia ser outra: “Aqueles que afirmam que Deus não existe podem provar? Afinal, quando se afirma deve-se apresentar a prova da afirmação.” Ninguém nunca provou nada, mas nos divertimos um bocado.

Fato é que Deus não quer provar a sua existência. Se Ele assim desejasse iria aparecer ao mesmo tempo a todos no planeta e dizer com voz de trovão:“Eu sou Deus, eu enviei Jesus e agora todos devem se prostrar diante dele, reconhecendo-o como Rei dos reis.” Aqueles que não se ajoelhassem seriam obrigados por Deus e voilà, estaria provado e comprovado sem sombra de dúvidas. De quebra todos estariam “convertidos” ou, no mínimo, coagido…