Pular para o conteúdo principal

A pedra que Deus não levanta


Visitando o blog de um amigo me deparei com o antigo paradoxo da pedra. Acredito que quase todos já ouviram falar nele, mas para quem não conhece: se Deus é onipotente, se Ele pode tudo, pode também construir uma pedra que não consiga carregar. Sem a pretensão de trazer a explicação final para esse tão curioso problema, postei o seguinte comentário:

Esse argumento, já antigo, tenta demonstrar que uma das características que tributamos a Deus não é possível. Logo, sendo impossível essa característica, qualquer informação a respeito de dele merece descrédito.

A problemática pode ser descrita em dois termos: se deus é uma invenção humana, ele é tão humano quanto nós e foi mal projetado. No entanto, se Ele não é humano, e criou todas as coisas, tentamos explicá-lo com características humanas; não conseguiremos.

Esse problema se estenderá não apenas as características atribuídas a Deus, mas também as suas ações, ou a falta delas. “Se Ele é Deus é onipotente, porque permite a fome, miséria, morte de inocentes, catástrofes, injustiças, crimes? Logo, torna-se sem utilidade um Deus onipotente que não usa seu poder em nosso favor, nem mesmo consegue criar uma pedra que não possa levantar.

Se Deus existe, nossas expectativas em relação a Ele são tão pessoais e egoístas que se Ele compartilha os mesmos sentimentos humanos deve se entediar. Se de fato, Ele, o criador de tudo, deixou sua forma divina (ou falta de forma visível), tornou-se humano, para relacionar-se conosco e falar acerca de sua vontade sem intermediários: profetas, sacerdotes, homens santos; e em sua onisciência nos vê preocupado com pedras deve pensar: onde foi que eu errei? Porque esse povo tornou-se tão fútil, preocupados com bobagens, sem a mínima vontade de conhecer quem os criou.

Se Ele é apenas lenda, tanto faz, pois uma nunca conseguiremos criar algo tão perfeito quanto um deus que cria todas as coisas. Sempre teremos bugs na criação, pois nos deparamos com um problema cíclico, criar alguém que tenha mais capacidade criativa do que aquele que o criou. Impossível!

Agora, com relação ao paradoxo inicial, lanço um argumento tão lógico, quanto o próprio paradoxo: Deus pode criar uma pedra que não possa levantar, mas mesmo assim Ele tem capacidade de levantá-la se desejar. Louco não?

Para os leitores, sugiro uma visita ao blog do Adriano, Inquilinos do Além: http://inquilinosdoalem.blogspot.com/. Ótimos textos.

Comentários

  1. Olá, Marcos. Obrigado pelo comentário em meu blog e por recomendá-lo. Em relação ao nosso tema, não esqueçamos do ponto de interrogação: "se Deus é onipotente, se Ele pode tudo, pode também construir uma pedra que não consiga carregar?".
    E nessa toada, já escrevi outro texto, sobre Deus e a questão do mal. Confira:

    http://inquilinosdoalem.blogspot.com/2010/07/deus-e-questao-do-mal.html

    Um abraço

    A. Facioli

    ResponderExcluir
  2. Paz do Senhor,

    Parabéns, pelo seu trabalho neste blog. Que Deus em Cristo Jesus continue lhe abençoando poderosamente.

    Estou seguindo o vosso blog.

    Aproveito pra lhe convidar a visitar meu blog também. Avivamento pela Palavra é um blog voltado aos amantes da Bíblia sagrada como Verdade Absoluta e que só através Dela seremos mais crentes e mais cheios do Espirito Santo. Comente, pois seus comentários são muito importante para mim poder estar sempre em melhorias no meu blog.

    http://www.alexandrepitante.blogspot.com/

    Siga-nos também.

    Fica com Deus.
    Abraço em Cristo, Alexandre Pitante.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Gostou? Comente!
Não gostou? Comente também!

As mais lidas dos últimos 30 dias

Pedras ou tijolos?

Quando se constrói uma casa hoje em dia, qual o material básico para levantar as paredes? Certamente são os tijolos. Tijolos são feitos em larga escala, obedecendo uma padronização de tamanho que facilita a construção e a torna mais rápida e eficiente. Imagine se você fosse incumbido de construir uma casa de pedras. Inicialmente deveria procurá-las, pois não são fabricadas. Depois de juntá-las seria necessário estudar onde encaixar cada uma, pois são de tamanhos e formatos diferentes e quando melhor encaixadas menos massa entre elas. Seria penoso carregar pedras grandes, trabalhoso usar as pequenas para tapar frestas; é uma obra realmente demorada!!! Muito mais rápido e prático construir com tijolos, não?

Pedro fala um pouco sobre a edificação da igreja comparando com a construção de uma casa. Fica claro a matéria-prima que o Pai usa em sua construção: pedras vivas. Os grandes empreiteiros da fé, na pressa de construir “suas igrejas” aprenderam que se constrói mais rápido com tijolos, …

Jesus na célula

Foi um encontro inusitado. Jesus estava passeando pelas ruas de Brasília, passou pela rodoviária do Plano, aquela multidão, ninguém o reconheceu. Viu um jovem a passos largos, bíblia embaixo do braço, se aproximou: - Olá rapaz! Jesus aborda o jovem que apressa ainda mais o passo.
- Olá moço. Desculpe, estou com pressa. O jovem demonstrou desgosto pela interrupção do estranho.
- Tudo bem, eu que me desculpo pela interrupção. Jesus conhecia os seus pensamentos. Você está indo a algum lugar especial?
- Estou indo para a igreja!
- Indo à igreja?
- É! Frequento a Igreja Pentecostal dos Milagres de Jesus... Pô, eu estou com pressa, o culto já começou, dá para dar licença. O jovem quase começa a correr, tentando se esquivar daquela situação desagradável com o estranho. Alguém que aborda o outro na rua, não deve ter boas intenções.
- Igreja Pente... (imagine a cara de Jesus nesse momento). Posso ir com você?
- Ãããã... Vamos, não tem problema. Mas ai se alguém perguntar você fala que frequent…

Não julgueis!

“Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.” Mateus 7:1-2

Não é incomum recebermos esse texto como resposta a alguma crítica que fazemos com respeito ao meio evangélico e, principalmente, aos seus líderes. Bom, já vou começar chutando o pau da barraca: se foi necessário citar esse texto como defesa a alguma coisa dita, ou feita por alguém, é porque o que foi dito ou feito foi uma bobagem sem tamanho! Ninguém reclama quando se “julga” alguma coisa positivamente. Dizer: “Nossa, que palavra abençoada do pastor super ungido” nunca é rebatida com o não julgueis. Entretanto, dizer: “Caracas, quanta bobagem o pastor falou hoje hein?” já é rebatido com Matheus 7 ou pior, 1 Samuel 24:6, para não tocar no ungido do Senhor. Sobre esse último, que é um absurdo, falarei em uma outra postagem.

Então, se foi necessário citar Matheus 7 para cessar o “julgamento”, já é um bom sinal que…