Pular para o conteúdo principal

Filho imperfeito

Não posso negar que o título do Blog foi influência do livro Proibida a entrada de pessoas perfeitas de John Burke. Sempre soube o quão imperfeito eu sou e a cada dia que me vejo mais íntimo de Deus percebo que sou mais imperfeito ainda. Bom notar que Deus, que por sua vontade me tomou como filho, por adoção, continua me amando, me ouvindo e desejando o meu bem, não porque é cego ou ignora minhas falhas, mas porque ele me ama pelo que sou não pelo que eu faço. Deus me adotou como filho... é, Ele gosta de mim, mesmo eu sendo EU. Sou afortunado!

A confusão, que nos leva a desejar atingir uma perfeição impossível, começa em nossa infância e é turbinada quando somos filhos de pais crentes (eu não fui): "Filhinho se você fizer isso Deus vai te mandar para o inferno". Então crescemos achando que Deus está prontinho para nos lançar em um poço de enxofre fervente quando não fazemos a coisa que Ele quer, quando não somos perfeitos. Ôôô deus iracundo, vingativo e carente. O problema é que ao crescermos tomamos consciência que não daremos conta de ser perfeitos e que e lei mata, então seguimos 2 caminhos: ou mentimos nos dizendo perfeitos, escondendo nossas falhas, ou desistimos, pois esse "deus carrasco" é um saco e muito incoerente, pois apesar de dizer que é amor, quer é me ver tostando no inferno!

Mas então, olhamos para Jesus, que sendo Deus, perfeito, não considerou toda essa perfeição e virou gente, frágil, imperfeito, e totalmente dependente do Pai, para ainda por cima morrer em uma cruz. E ai, Paulo, quando fala sobre isso na carta aos Filipenses, capítulo 2, nos diz para termos o mesmo sentimento dele, de Jesus. Não era a perfeição que Jesus buscava, pois Ele era perfeito e negou essa perfeição, mas a dependência do Pai, o amor que nos move a nos fazermos iguais aos imperfeitos, amá-los e servi-los até a morte.

Saber que faço parte dessa família, não por merecimento, mas por adoção; que Jesus é meu irmão, que posso me espelhar nele, que ele me ama incondicionalmente e que nosso Pai quer meu bem, me faz continuar... Essa certeza, de fazer parte de uma família celestial, me motiva a buscar agradar o Pai, viver com Ele, amá-lo e buscar sua vontade, não porque serei perfeito, mas porque quero viver como Ele..

Comentários

As mais lidas dos últimos 30 dias

Competição "santa"

O tempo passa rápido! Estou perto dos 40 anos e lembro-me como se fosse ontem quando tinha 20. Com anos passados é normal acumularmos algumas bagagens: conhecimento, experiências, manias, coisa boas e ruins. Na virada deste ano, 2009 para 2010 completarei a "maioridade cristã". Estarei comemorando 18 anos de adoção, 18 anos que o Pai lá do céu me adotou em Cristo. O tempo decorrido não quer dizer muita coisa, afinal crescer no conhecimento de Deus não é natural, demanda relacionamento, renúncia, crucificação do ego e seus desejos. Muitos passam anos no cristianismo, mas continuam sendo governados pelo seu ego e suas vontades, como um bebê, que pensa que o mundo gira em torno de suas necessidades.

Nesses 18 anos de adoção muita coisa em minha vida mudou, principalmente a forma como enxergo o próximo, seja ele da mesma família celestial ou não. Já estive em uma congregação no início de seus trabalhos e a vi crescer assustadoramente, já estive também em grandes congregações em p…

Pedras ou tijolos?

Quando se constrói uma casa hoje em dia, qual o material básico para levantar as paredes? Certamente são os tijolos. Tijolos são feitos em larga escala, obedecendo uma padronização de tamanho que facilita a construção e a torna mais rápida e eficiente. Imagine se você fosse incumbido de construir uma casa de pedras. Inicialmente deveria procurá-las, pois não são fabricadas. Depois de juntá-las seria necessário estudar onde encaixar cada uma, pois são de tamanhos e formatos diferentes e quando melhor encaixadas menos massa entre elas. Seria penoso carregar pedras grandes, trabalhoso usar as pequenas para tapar frestas; é uma obra realmente demorada!!! Muito mais rápido e prático construir com tijolos, não?

Pedro fala um pouco sobre a edificação da igreja comparando com a construção de uma casa. Fica claro a matéria-prima que o Pai usa em sua construção: pedras vivas. Os grandes empreiteiros da fé, na pressa de construir “suas igrejas” aprenderam que se constrói mais rápido com tijolos, …

Deus existe? Então prove!

Já participei de uma comunidade ateísta no Orkut. Mesmo sendo cristão convicto ganhei o status de moderador após participar de uma pequena competição de conhecimento científico e teológico. Quando participava ativamente a frase que mais ouvia dos meus amigos ateísta era: “Deus existe? Então prove! O ônus da prova é incumbido àquele que afirma.” Minha resposta não poderia ser outra: “Aqueles que afirmam que Deus não existe podem provar? Afinal, quando se afirma deve-se apresentar a prova da afirmação.” Ninguém nunca provou nada, mas nos divertimos um bocado.

Fato é que Deus não quer provar a sua existência. Se Ele assim desejasse iria aparecer ao mesmo tempo a todos no planeta e dizer com voz de trovão:“Eu sou Deus, eu enviei Jesus e agora todos devem se prostrar diante dele, reconhecendo-o como Rei dos reis.” Aqueles que não se ajoelhassem seriam obrigados por Deus e voilà, estaria provado e comprovado sem sombra de dúvidas. De quebra todos estariam “convertidos” ou, no mínimo, coagido…